Letras

________________________________________________________________________

de canto

( Daniel Debiagi )

Quero nunca mais te ver chorar por mim
Pra ti fiz uma oração de lágrimas
Pra secar tua pele do sal que sai sem pedir
Chega de fingir que a vida acaba por aqui
Com tanto chão em falso ainda pra pisar
Teu encanto é bem maior que o pranto de partir
Se teu eco perdido soar por aí
Há sempre quem vai ouvir, admirar, sentir

Chora o canto que eu te canto
Pra cantares de nó em nó na garganta
Então um rio inteiro espantar
Sem chover em teus olhos
Borrar teu sorriso

Quero sempre mais te ver acalantar a dor
Dos medos e os anseios que vão escorrer
Por teus lábios mais e mais em dias tão iguais
Canta pra chorar, eu choro só de ouvir
É porque ninguém fez por mim
Tanto, quanto eu fiz por ti.

Chora o canto que eu te canto
Pra cantares de nó em nó na garganta
Então um rio inteiro espantar
Sem chover em teus olhos
Borrar teu sorriso.

________________________________________________________________________

drama-flor

( Maikel Rosa / Daniel Debiagi )

Sou teu brinquedo
Teu samba-enredo
Mas não me ouve
Nem me sabe, mal me cabe
Mal me quer, só me tem

Sou por inteiro teu jardineiro
Pra colher infinitas dores inventadas
Por engano plantadas no teu jardim

Mas você só faz drama
Eu só quero a chama
Que te esparrama em mim

Eu te amaria pelos lábios
No doce da noite da tua saliva
Eu saberia…
Teu drama tem cheiro de flor
Meu drama é falar … desse amor
Drama-flor.

________________________________________________________________________

sabes amor

( Maikel Rosa / Daniel Debiagi )

Sabes amor,
Tu és doce na verdade
Sabes amor,
Tua casca é triste e seca
Mas, sabes amor,
És doce no canto do teu sorriso

Tens sede demais
Da água que não acreditas
Que beberás
E é tão só
Não crer no amor

Tão só que és
Mas por quê?
Ou por quem?
Que tens tanto medo
De não ser mais só?

________________________________________________________________________

meio mundo

( Daniel Debiagi )

Por hoje quero ser tua, teu pedaço mais escasso
Cabe em mim como se fosse encomenda
Tá na cara que me queres pra vida toda
Mas não sou boba de querer-te tanto assim

Preciso muito mais do mundo,
E meio mundo mais também além de ti

Calma, controla o desespero, erro é se repetir
Agora vens bancar de dono, nem perde teu sono
Juro por Deus que ateu já rezou pra conseguir
Ter em meu colo a casa inteira pra dormir

Preciso muito mais do mundo
E meio mundo mais também além de ti

Fala mal à vontade, beba até cair
Falta de respeito não vou admitir
E foi, contigo aprendi, na pele eu senti
A liberdade do meu peito não tem preço, nem raiz

Preciso muito mais do mundo
Toma teu rumo num instante pra sumir

E desfaz tua ilusão
Tanto faz se vais sofrer em vão
Eu te avisei, perdão.

________________________________________________________________________

resto de ti

( Daniel Debiagi )

Olha bem o que me tornei
Por tuas vontades
Tuas meias verdades
Fizeram de mim essa mentira

Ria à vontade da vontade que me deu
Cospe na cara, me desgraça por ser
Pela última vez, tua insensatez
O resto de ti que não queres mais,
Não mais, não te sirvo mais, pra quê?

A cama fria pelo meu corpo
Não sinto os pés
Não sei do meu rosto
Sei da solidão embriagada
E o resto de mim à meia garrafa

Pensas que gosto de sofrer
Mas como posso entreter a dor?
Sem a diversão do teu corpo
Ardendo de calor?

Pensas que gosto de sofrer
Mas como posso entreter a dor?
Sem a diversão do teu corpo
Ardendo, sedento de calor?

Ora, por favor, desapareça
Morra em mim.

________________________________________________________________________

empezar

( Isabel Janostiac / Daniel Debiagi )

Yo no voy a empezar a escribir
Con mis uñas en tu cuerpo
Mi poesía en tus venas

Tu sangre lati en mi corazón
Pero mi olor no está en tu boca
Quiero más que olores de cuerpos
Cuerpos sin aires…

Mientras escucho tu voz
Pienso en tu calor
Ojos calientes, bocas calientes
Cuando te callas
El hielo del siléncio cubre mi cuerpo
Pero no a mí pecho…

Solo…el corazón ya es tan poco…
Y el miedo del tiempo te sigue
Miedo con terremotos…

Yo sé que también tienes miedo de mí…
Yo que no soy más que una duda
Una pregunta de la vida

De tus nubes de dudas
Yo puedo cuidar
Pero no puedo pelear
Con un eclipse.

Anúncios